Mioma Uterino – As doenças que mais afastam os trabalhadores brasileiros

Saúde Ocupacional - 05/09/2013

Mioma uterino, doença feminina, não é considerada consequência das atividades de trabalho, mas apresenta impacto na vida profissional da trabalhadora brasileira

mioma-uterinoA continuação da série de posts que falam sobre as doenças que mais afastam os trabalhadores do local de trabalho explica, em seu quinto texto, os Miomas Uterinos. O Ministério da Previdência Social coletou os dados e elaborou uma lista com as 10 doenças que mais afastaram os trabalhadores brasileiros em um período superior a 15 dias – sem levar em conta se a origem pode ser ocupacional. O  portal IG divulgou as informações em um levantamento, aprofundado pela equipe do SOC Blog em uma sequência de postagens periódicas.  As dores nas costas são as principais causas de afastamentos no Brasil, seguidas pelos joelhoshérnias inguinais e transtornos de humor, ficando os Miomas Uterinos com a quinta colocação.

De acordo com o site do Dr Drauzio Varela, o mioma uterino é um tumor benigno, que pode aparecer durante a fase reprodutiva da vida da mulher (da puberdade à menopausa). Eles podem aparecer em diversos locais do útero e possuem uma grande variedade de tamanhos, resultando em inchaços na região pélvica. As causas são desconhecidas, porém o site afirma que o tumor depende de hormônios para se desenvolver. Geralmente, os miomas são assintomáticos, sendo diagnosticados em exames de rotina, ultrassom e ressonância magnética. Em casos específicos, os sintomas tendem a envolver aumento no fluxo menstrual, aumento do volume abdominal (em mulheres magras pode parecer gravidez) e dores na região.

O site esclarece que mulheres com mioma podem engravidar, mas que tudo depende do caso e dos tipos de tumor. Nesse caso, a localização é importante, pois quanto mais perto do centro do útero, maior as chances de ocasionar sangramentos e, consequentemente, abortos. Existem três alternativas de tratamento para os miomas, explica o site do Dr Drauzio Varela. A primeira é via medicamento, utilizada em casos específicos, como a idade próxima ao período de menopausa. A cirurgia é a segunda opção de tratamento, com a retirada dos tumores ou de todo o órgão, a depender do caso. A terceira alternativa é a embolia, que corta a irrigação de sangue para o mioma, ocasionando a desnutrição do tumor e regressão dos sintomas.

Em tom de conscientização, a página deixa claro que as mulheres que receberem esse diagnóstico não devem entrar em desespero. As técnicas para o diagnóstico preciso e tratamento da doença são avançadas e não são muito agressivas. O site alerta para que as mulheres não deixem de fazer exames de rotina e não abandonem o tratamento nos primeiros sinais de regressão dos tumores (em casos de intervenção medicamentosa), já que eles tendem a voltar em velocidade assustadora, aumentando de tamanho e agravando o caso.

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado. *Campos obrigatórios.