Até 35% das perdas auditivas ocorrem devido à exposição a sons intensos

Saúde Ocupacional - 10/03/2015

Cerca de 15 milhões de brasileiros sofrem com algum tipo de deficiência auditiva e quando as células sensoriais são lesionadas,  não há como recuperar a sensibilidade

De acordo com a Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), de 30 a 35% dos casos de perda de audição ocorrem em consequência da exposição a ruídos diários que causam a surdez parcial. A Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (Aborl-CCF) aproveitou esses dados para alertar que a exposição a ruídos com frequência acima de 85 decibéis (dB) pode provocar um trauma muito grande nas estruturas do ouvido, sendo que esse tipo de perda auditiva pode gerar zumbidos intensos e distorção sonora para o paciente. Isso acontece devido às múltiplas lesões das células sensoriais auditivas.

Quando as células sensoriais auditivas são lesionadas, o quadro não pode ser revertido, assim, usar protetores auriculares são muito importantes, principalmente para aqueles que trabalham diretamente expostos a ruídos e barulhos intensos, como por exemplo funcionários de setores industriais, motoristas de veículos grandes e operadores de construção civil. A Aborl-CCF ainda explica que a exposição ao som intenso é a segunda causa mais comum para a deficiência auditiva, bastando uma exposição à esses sons intensos para possivelmente gerar um dano irreversível. Os primeiros sintomas desse tipo de perda auditiva são sutis e, geralmente, apontam para a perda da sensibilidade auditiva da frequência aguda. Como todas as outras frequências auditivas estão dentro da normalidade, a pessoa pode não perceber essa alteração.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que cerca de 10% da população mundial sofre de deficiência auditiva, sendo que só no Brasil esse número chega a 15 milhões de pessoas. A melhor forma de prevenir a perda auditiva, de acordo com a Abrol-CCF, é incorporar na rotina uma série de cuidados, como utilizar protetores auriculares, evitar ouvir as músicas muito alto e evitar o uso abusivo de fones de ouvido. Uma dica para perceber se um ambiente está acima dos limites de ruídos é verificar se há a necessidade de gritar para ser ouvido, se há a ocorrência de zumbidos após a exposição aos ruídos intensos e, por fim, verificar se ocorre a sensação de ouvidos cheios após a exposição ao barulho.

Para amenizar esses riscos durante a rotina de trabalho, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) criou a Norma Regulamentadora 07 (NR 07) que estabelece o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), legislação responsável por definir as diretrizes e os tipos de exames que deverão ser realizados por todos os trabalhadores expostos à determinados agentes, como por exemplo os ruídos. Uma das funcionalidades de destaque do SOC – Software Integrado de Gestão Ocupacional é o Módulo de Audiometria, que permite o acompanhamento da avaliação auditiva dos colaboradores, com telas e relatórios específicos para analisar os resultados dos exames exigidos pela NR 07 e demais legislações complementares.

A surdez causada pela exposição ao som intenso se acumula ao longo dos anos e é irreversível, por isso é preciso tomar cuidado no dia a dia pode fazer a diferença na hora de zelar pela saúde auditiva. Por exemplo, evitar a exposição com sons em torno de 85 dB durante mais de oito horas e, a partir dos 95 dB, permanecer por no máximo duas horas. No caso de um ambiente de trabalho ruidoso, a Política de Segurança da empresa pode compor uma série de medidas que amenizam a exposição do trabalhador aos ruídos, com a implantação de Equipamentos de Proteção Individual, como protetores auriculares e atenuadores de ruídos, e Equipamentos de Proteção Coletiva, como enclausuramento acústico.

2 Comentários
  1. […] Tais como estresse, aumento da gordura corporal e da pressão arterial. Vale lembrar que cerca de 15 milhões de brasileiros sofrem com algum tipo de deficiência auditiva. Quando essas células são lesionadas, não há […]

  2. Marco Eugeniusz M. Silva disse:

    Excelente ferramenta de trabalho.
    Além das funcionalidades citadas, também é possível imprimir os exames sob as principais normas regulamentadoras e referenciais teóricos.
    Muito bom mesmo!!! Top!!!
    Recomendo

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado. *Campos obrigatórios.