EPI’s e a tecnologia do SOC para gestão de EPI e EPC

Segurança no Trabalho - 30/08/2019

O SOC possui a tecnologia certa para melhorar a gestão de EPI e EPC dentro da empresa. Confira como essa união visa aprimorar a segurança de todos no ambiente de trabalho.

EPI’s e a tecnologia do SOC para gestão de EPI e EPCA segurança do trabalhador tem sido um assunto em pauta, principalmente, por conta das mudanças do eSocial e dos avanços tecnológicos, que auxilia nos cuidados e na gestão mais eficaz desses equipamentos.

Tanto o EPI como o EPC são equipamentos que auxiliam na segurança de todos no ambiente de trabalho. A diferença é que um é para a proteção coletiva e o outro, para a individual, como capacetes, luvas e botas. Já os corrimãos, ventiladores e janelas são alguns exemplos clássicos de EPC.

Cabe lembrar ainda que o uso do EPI é uma obrigação quando se trata de segurança do trabalhador e tem grande importância dentro das empresas. Por isso, a responsabilidade da empresa analisar os riscos e disponibilizá-los, de forma gratuita, para os funcionários durante o expediente.

O que é um EPI?

A sigla EPI significa Equipamento de Proteção Individual tem o objetivo de manter a segurança do funcionário ao realizar seus afazeres diários. Cada trabalhador possui seu equipamento específico de acordo com a sua função, setor e ambiente que está inserido.

Alguns exemplos de EPI’s são claros para todos, como proteção de ouvidos para aqueles que trabalham com maquinários barulhentos. Ou óculos de proteção para quem trabalha com cortes de materiais ou líquidos que possam respingar e prejudicar a visão.

O que é um EPC?

O EPC, sigla para Equipamento de Proteção Coletiva, é um dispositivo ou sistema que tem a finalidade de promover, como seu próprio nome diz, a proteção coletiva de trabalhadores e também de terceiros. Seu objetivo principal é zelar pela integridade física e pela saúde.

Embora muitos confundam EPI com EPC, eles são diferentes. O EPI protege o trabalhador individualmente; e o EPC protege coletivamente, não apenas ao trabalhador em si.

Em geral, os EPCs apresentam uma maior eficiência do que os EPI’S, pois não apresentam incômodo ao trabalhador. Além disso, têm a funcionalidade de proteção de toda a equipe entre outras pessoas.

Alguns exemplos de EPCs são:

  • Barreiras contra radiação e luminosidade;
  • Cones;
  • Exaustores;
  • Fitas;
  • Corrimãos;
  • Placas de sinalização;
  • Extintores de incêndio;
  • Alarmes;
  • Guarda corpo;
  • Plataformas;
  • Grades, entre outros.

Usar EPCs é de grande importância, pois ele auxilia na redução de acidentes de trabalho e até em evitá-los. Tanto os que envolvam trabalhadores quanto outras pessoas presentes no local. O EPC tem também a capacidade de otimizar a produtividade das empresas por conta de melhores condições de trabalho.

Gestão de EPI a partir do SOC

Atendendo à Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego, o Módulo de Entrega e Gestão de EPI do SOC possibilita o controle de informações relevantes sobre a entrega dos EPIs. Cadastros documentais, características, reposição, data de entrega, compra, vencimentos de validade do EPI e Certificado de Aprovação (CA).

O software ainda sugere uma nova data de entrega dos equipamentos. Acompanhado da impressão do termo de guarda e uso, além de permitir assinaturas manuais ou por biometria.

Além disso, o SOC aponta a relação entre fabricação do produto, EPI e colaborador (e não somente a validade do CA), gerando relatórios de entrega e planilhas eletrônicas que agilizam o dia a dia dos usuários. Tudo isso com uma interface simples, atual e amigável.

Gestão de EPC a partir do SOC

Assim como no caso dos EPIs, atendendo à Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego, o SOC pode ajudar na gestão e controle de informações sobre EPCs de uma empresa, como a necessidade de compra de cones ou extintores de incêndio, por exemplo.

A tecnologia junto à Segurança do Trabalho

A tecnologia pode auxiliar de diversas formas na segurança do trabalho. Desde o gerenciamento até o aprendizado dos colaboradores, o que evita acidentes e riscos no ambiente de trabalho.

Dentro da gestão, podemos apontar as plataformas que auxiliam no cadastro e no gerenciamento dos equipamentos e funcionários. Como citamos acima sobre o SOC, a empresa obtém mais agilidade e organização sobre a entrega de equipamentos e informações importantes.

Com estas plataformas, a fiscalização dentro da empresa se torna mais fácil. Garantindo que todos os funcionários estejam seguros, dentro de suas funções.

NR 6 – Equipamentos de Proteção Individual

De acordo com a Norma Regulamentadora 6, os EPI’s só podem ser colocados a venda com Certificado de Aprovação (CA).

O certificado é expedido pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego.

Além disto, como já citamos acima, a norma diz que os EPI’s devem ser fornecidos gratuitamente aos funcionários e, claro, em perfeito estado de conservação.

O descumprimento desta Norma coloca a vida de profissionais em risco, além de poder gerar processos judiciais para a empresa.

NR 4 e NR 9 – Equipamentos de Proteção Coletiva

Segundo a Norma Reguladora 4, o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) tem a responsabilidade de aplicar seu conhecimento na Saúde e Segurança do Trabalho (SST). Isso, com a finalidade de reduzir ou ainda erradicar – quando possível – os riscos presentes em ambientes de trabalho das empresas.

Caso os meios de neutralização e de eliminação se esgotem, cabe ao SESMT impor quando será necessário a utilização de um EPC e qual o tipo necessário adequado a cada função.

Enquanto isso, a Norma Reguladora 9 legisla sobre o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA). Segundo ela, é necessário descrever todas as medidas de controle utilizadas, incluindo o uso de EPIs e EPCs, durante todo o processo de identificação de riscos existentes.

No item 9.3.5.2 da NR 9, diz-se que as empresas precisam priorizar o uso do EPC, colocando o uso do EPI em último caso.

Ao não cumprirem o que foi previsto pelas normas regulamentadoras, as organizações podem ser multadas. A NR 9 deixa muito claro a obrigatoriedade de medidas de proteção, tanto coletivas como individuais.

As multas podem ser maiores ainda caso aconteça algum acidente. A empresa é obrigada a se responsabilizar por qualquer dano causado, pois ‘omitiu’ o fornecimento do EPC necessário.

Esperamos que este artigo tenha esclarecido suas dúvidas quanto a gestão de EPI e EPC através da tecnologia do SOC.

Acesse nosso site e conheça outras vantagens do SOC tanto para empresas quanto para prestadores de serviço. Visite também nosso blog e fique por dentro de temas de SST.

Entre em contato conosco por meio de um dos nossos canais de contato para esclarecer suas dúvidas.

Compartilhe seus comentários e acompanhe nossas novidades em nossas redes sociais: Facebook | Instagram | Youtube | Twitter.

Continue lendo:

» Enfermagem: seu papel, importância e objetivos na saúde do trabalhador

» Gestão de segurança e saúde ocupacional: da importância à aplicação nas empresas

» Como implementar programas de segurança e saúde no trabalho na sua empresa?

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado. *Campos obrigatórios.