Gestão de segurança e saúde ocupacional: da importância à aplicação nas empresas

Saúde Ocupacional, Segurança no Trabalho - 28/08/2019

Um ponto que merece atenção é a gestão de segurança saúde ocupacional. Mostrando atenção e cuidado aos funcionários, e melhorando a produtividade. Confira

Gestão de segurança e saúde ocupacional da importância à aplicação nas empresasO cenário interno das empresas está constantemente sofrendo mudanças. Seja por mudanças externas ligadas ao uso da tecnologia ou a legislação, assim como alterações internas, as organizações não são mais as mesmas.

Ambos são importantes para o desenvolvimento correto da empresa. Porém, nem todas as pessoas compreendem ao certo do que se trata e os benefícios de investir nisso. Mas hoje vamos explicar tudo isso para vocês, para colocar em prática de uma vez por todas.

Gestão de segurança do trabalho

Independente de qual seja a sua empresa, há riscos de acidentes a cada dia. Pode ser dos mais simples até os mais complexos, que impedem a pessoa de continuar a sua rotina como funcionário daquele negócio. Por causa disso, é crescente o número de órgãos e empresas, sejam públicas ou privadas, que se empenham ativamente para melhorar as técnicas de segurança do trabalho.

Segurança do trabalho são técnicas que visam a segurança do trabalhador durante a execução das suas atividades. Esse conjunto de parâmetros são usados para reduzir o número de acidentes assim como as doenças ocupacionais. Mas se você pensa que a importância a gestão da segurança se resume a evitar acidentes, se engana.

Investimento na gestão de segurança do trabalho

Investir em uma gestão de segurança do trabalho é benéfico em diversos sentidos. O número de despesas diminui, a reputação melhora assim como o engajamento da equipe. A produtividade também é outro ponto que apresenta melhoras consistentes, além de melhorar a organização do ambiente entre outros motivos.

Um gesto que melhora a segurança reflete em vários outros pontos. Mas para isso é necessário implementar a gestão da segurança na sua empresa. Para começar, cada negócio tem as suas características. Então a implementação deve levar em consideração isso.

Quem participa dos métodos também deve ser levado em consideração. Todos os integrantes devem estar ativamente envolvidos nessa gestão da segurança. O departamento de Recursos Humanos, assim como os gestores de cada área, deve estar trabalhando em conjunto para aplicar essas técnicas na prática. Isso é importante pois é através desses profissionais que o planejamento e também as estratégias são executadas da melhor forma.

O RH é sem dúvidas o item que deve fundamentar tudo. Isso porque se trata de um departamento que tem a visão mais ampla e assertiva da instituição. A mesma compreende as características das diferentes áreas, os riscos que cada atividade apresenta para o funcionário e os recursos da empresa no geral. Lembrando que fazem parte dos Recursos Humanos as áreas de medicina do trabalho, segurança do trabalho e também os treinamentos necessários.

E os gestores de cada departamento?

Essas pessoas atuam junto com o RH para selecionar com mais assertividade. Esse é o momento mais fundamental para compor uma equipe, uma vez que é observado se cada está alinhada com as expectativas da segurança do trabalho. Isso sem falar que são esses gestores que estão diariamente acompanhando as atividades, observando seu desenvolvimento e possíveis mudanças. Então são as primeiras pessoas a compreender que alguns fatores podem gerar riscos aos funcionários e ainda conscientizá-los sobre esses riscos.

Mas não para por aí. Dependendo do número de funcionários, dos riscos e da atividade realizada, podem ser exigidos os seguintes profissionais:

  • médico do trabalho;
  • enfermeiro do trabalho;
  • auxiliar de enfermagem do trabalho;
  • engenheiro de segurança do trabalho;
  • técnico em segurança do trabalho.

Termos presentes na Gestão de Segurança

Agora que você já compreendeu os responsáveis por implementar isso, chegou a hora de ver na prática como aplicar. Mas antes de tudo, é importante compreender alguns termos muito presentes na gestão de segurança e que causam dúvidas.

  • Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)

    Obrigatório para todas as empresas, especialmente as que são ligadas ao ramo da construção civil e que possuem menos de 20 funcionários. O PPRA propõe medidas de segurança que evitam doenças ocupacionais e acidentes de trabalho.

  • Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO)

    Faz o mapeamento constante de zonas de risco, identificando doenças assim como a frequência disso. É eficaz para direcionar o funcionário para o tratamento indicado.

  • Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA)

    Composta por representantes dos funcionários e da empresa, discutem em reuniões situações de risco e buscam formas de resolver isso.

  • Mapa de Risco

    Documento elaborado pela CIPA e que indica os riscos presentes no ambiente de trabalho assim como as medidas para evitar futuros acidentes.

  • Ficha de EPI

    Documento que comprova que os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) foram entregues aos funcionários. Deve ser assinado pelo colaborador que recebeu os equipamentos e pode ser usado na justiça em questões trabalhistas.

  • Ordem de serviço

    Documento que apresenta os riscos que o ambiente de trabalho oferece aos funcionários. Indica ainda as medidas de proteção que devem ser utilizadas.

  • Atestado de Saúde Ocupacional (ASO)

    Documento que certifica a aprovação ou desaprovação para aquela pessoa desempenhar determinada atividade. Neste papel estão presentes os documentos de admissão, demissão, retorno ao trabalho e também mudança de função.

  • Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho (LTCAT)

    Laudo técnico obrigatório para negócios com funcionários celetistas.

  • Laudo de Insalubridade

    Documento que indica a necessidade de pagar adicional de insalubridade ao trabalhador.

Gestão de segurança e saúde ocupacional: da importância à aplicação nas empresas

Além disso, há as normas regulamentadoras. Que são:

  • NR 1: disposições gerais
  • NR 2: inspeção prévia
  • NR 4: Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT)
  • NR 5: Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA)
  • NR 6: Equipamento de Proteção Individual (EPI)
  • NR 7: Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO)
  • NR 26: sinalização de segurança

Isso sem falar na conscientização do uso de EPI’s. De acordo com a Norma Regulamentadora número 6, Equipamento de Proteção Individual (EPI) se trata de todo dispositivo ou produto utilizado individualmente pelo funcionário. Isso protege esse trabalhador contra riscos e acidentes, que causam prejuízos para a saúde dessa pessoa. Devem fazer parte de toda empresa, se adequando ao que é preciso na empresa.

Então para que se tenha resultados consistentes, é essencial que esses colaboradores tenham consciência dessa importância. Campanhas educativas são essenciais para esse processo. O departamento de saúde e segurança do trabalho usam cursos, treinamentos, palestras entre outros para melhorar essa conscientização.

É possível fazer algumas ideias, como treinamento de integração, Semana Interna de Prevenção de Acidentes (SIPAT), Diálogo Diário de Segurança (DDS) e placas de conscientização.

Caso haja problemas com isso, o empregador pode tomar algumas medidas. Pode acontecer uma advertência verbal, advertência escrita, suspensão ou demissão por justa causa.

Agora que você compreende tudo sobre o sistema gestão sst, chegou a hora de entender como funciona a gestão de saúde e segurança ocupacional.

Saúde ocupacional

Saúde ocupacional se trata de uma área essencial, pois é capaz de evitar doenças relacionadas ao contínuo esforço nas atividades diárias ou o ambiente de trabalho.

Além disso, é essencial para melhorar o clima organizacional, elemento indispensável para proporcionar segurança e bem-estar. Bem realizado, reflete na performance dos funcionários. Os mesmos se tornam mais motivados, engajados a darem o seu melhor assim como se tornam mais bem-sucedidos.

Para implementar isso na sua empresa, é importante compreender algumas iniciativas que geram muitos resultados. E podemos destacar:

  • Ergonomia

    Trata-se de um conjunto de técnicas que adapta um espaço para proporcionar um melhor ambiente de trabalho. Deve estar ligado às leis trabalhistas, por exemplo as Normas Regulamentadoras. Envolve ainda a compreensão de como é a rotina naquela atividade e adequar a estrutura para suprir as necessidades.

  • Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT)

    Organizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e realizada de forma obrigatória anualmente. Reforça conhecimentos já aprendidos relacionados aos cuidados e prevenção de acidentes.

  • Ginástica laboral

    Mesmo com todas as ações destacadas acima, os colaboradores podem apresentar problemas em articulações e músculos. E para isso que a ginástica laboral se apresenta, como uma solução para esse problema. É realizada em pequenos intervalos, seja individualmente ou coletivamente. Vale destacar que há nessa questão a ginástica corretiva. Esta é indicada para evitar a atrofia de certas regiões e também dos grupos musculares. Invista nos dois para complementar as suas ações e ter mais resultados.

  • Quick massage

    Trata-se de uma massagem rápida, com no máximo 15 minutos de duração. É indicada para pessoas que sofrem com tensões musculares ocasionadas por múltiplas tarefas. Muitas empresas disponibilizam um manual para fazer essa massagem rápida. Afinal de contas, essa prática deve ser feita com atenção para realmente ter eficácia.

  • Programa de alimentação saudável

    Sem dúvidas a nutrição é fundamental para se ter uma saúde perfeita. E manter isso em melhor estado reflete em uma pessoa com mais qualidade de vida, melhor performance nas atividades e mais longevidade. Em conjunto com a prática de atividades físicas, é possível ter muito mais disposição e ter mais performance nas suas atividades. As empresas já enxergam isso e buscam formas de já implementar esses conceitos de alimentação saudável. Muitos refeitórios oferecem opções saudáveis e saborosas para os funcionários. Mesmo quando a empresa não é responsável por isso, é interessante observar a preocupação em divulgar e conscientizar sobre os benefícios de se alimentar corretamente. Isso reflete na qualidade de vida do funcionário, que trabalha melhor e gera mais resultados para a empresa.

  • Campanha de vacinação

    Essas campanhas de vacinação acontecem constantemente para a prevenção contra surtos de doenças. Não é obrigatório, mas é uma maneira de blindar a saúde dos funcionários da empresa. É fundamental para regiões com muitos surtos de doenças.

  • Estímulo à realização de exames periódicos

    É prevista por lei que a empresa proporcione o acompanhamento da saúde do trabalhador. Mas nem todas as doenças podem ser identificadas rapidamente. Logo, uma solução eficaz é investir na conscientização dos funcionários.

Não precisa utilizar todas as dicas, mas priorize as que mais podem gerar resultados para a sua empresa. Mas você vai entender melhor como aplicar tudo o que explicamos anteriormente logo a seguir.

Gestão de segurança e saúde ocupacional: da importância à aplicação nas empresas

Como aplicar a gestão de segurança e saúde organizacional?

Agora que você compreendeu tudo sobre gestão de segurança e saúde organizacional, chegou o momento de colocar em prática tudo o que foi ensinado. Para começar, entender como está a empresa atualmente.

Quais são os pontos mais relevantes? O que precisa de mais atenção?

Muitas vezes o principal problema está relacionado a questões simples do dia a dia.

Além disso, observe o que pode ser feito com o que você tem hoje. Muitas empresas ainda não disponibilizam de uma estrutura adequada para suportar muitas mudanças. Mas aos poucos você pode começar a investir nisso. Invista em práticas de ergonomia, para que o tempo de trabalho do colaborador não prejudiquem sua saúde.

Estimule o conhecimento  sobre alimentação saudável e o acompanhamento constante com médicos através de exames periódicos. Utilize ferramentas para facilitar a implementação das suas estratégias. Faça pesquisa de clima, desenvolva uma visão geral e outra estratégica.

Tenha em mente que é importante ter ações rotineiras, do dia a dia para que se tenha o resultado esperado. Não há performance sem investimento constante. E tanto a gestão de segurança como a saúde ocupacional exigem essa periodização.

Os gestores devem se manter atualizados sobre as melhores práticas, não para gerar mais resultados. Investir nisso é importante para aumentar o bem-estar da pessoa durante o expediente. Muitas vezes passamos mais tempo no trabalho do que na nossa casa. Então é essencial que esse ambiente não prejudique a saúde.

E por falar em prejudicar, um grande problema é não observar as novas tecnologias. Invista em sistemas que otimizem a sua ação de gestão de segurança e saúde ocupacional. Mas como fazer isso?

Uma dica é escolher empresas com credibilidade no mercado. A Age Technology disponibiliza o sistema mais eficaz. Este se adéqua ao que a sua empresa precisa e melhora a performance das suas ações. Estamos há anos no mercado e isso reflete na qualidade dos nossos produtos.

Além disso, temos um suporte para te ajudar sempre que precisar. E tudo isso de forma eficaz e rápida.

 

Quer saber mais sobre gestão de Saúde e Segurança do Trabalho? Entre em contato conosco a partir de nosso site

 

Saiba mais sobre nossos conteúdos a partir de nosso blog:

» Como implementar programas de segurança e saúde no trabalho na sua empresa?

» Sistema de gestão de saúde e segurança do trabalho

» Como escolher o melhor sistema de informação em saúde?

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado. *Campos obrigatórios.