Matriz de Avaliação de Risco: o que é, como criar e aplicar no GRO?

Novidades, Saúde Ocupacional, Segurança no Trabalho - 26/05/2020

Registrar, avaliar e gerenciar os perigos e riscos da segurança e saúde ocupacional são itens primordiais para buscar a prevenção. Confira como é possível fazer tudo isso utilizando a Matriz de Avaliação de Risco.

Matriz de Avaliação de Risco o que é, como criar e aplicar no GRO

A Matriz de Avaliação de Risco é uma importante ferramenta para avaliar o nível de risco dos perigos e riscos de acordo com a realidade da empresa e priorizar as ações para um determinado fator de risco.

Ela também pode ser usada na reavaliação dos riscos a fim de identificar se o nível de risco está diminuindo ou aumentando conforme as medidas implementadas, visando a prevenção de acidentes e doenças no ambiente de trabalho.

Uma das formas mais simples de avaliar o risco oriundo de um perigo é aquela determinada pela estimativa da Severidade do perigo e da probabilidade que este venha a ocorrer.

Combinação entre Severidade x Probabilidade

O novo texto da NR-1 diz o seguinte:

“1.5.4.4.2 Para cada risco deve ser indicado o nível de risco ocupacional, determinado pela combinação da severidade das possíveis lesões ou agravos à saúde com a probabilidade ou chance de sua ocorrência.”

Esta combinação da probabilidade de ocorrer lesão ou agravo à saúde causado por um evento perigoso, exposição à agente nocivo ou exigência da atividade de trabalho e da severidade dessa lesão ou agravo à saúde pode ser demonstrada por meio de uma Matriz de Avaliação de Risco ou por fórmulas matemáticas.

Sendo assim, não há uma regra fixa para se estabelecer uma Avaliação de Risco. A Matriz de Risco pode ser uma delas e deve levar em consideração vários fatores ligados à severidade, como:
a) as partes do corpo que podem ser afetadas;
b) a natureza do dano, desde o levemente prejudicial ao extremamente prejudicial;

Deve-se também considerar outros fatores ligados à probabilidade como:
a) o número de pessoas expostas;
b) a frequência e duração da exposição ao perigo;
c) a falha de utilidades, como eletricidade e água;
d) a falha de componentes da planta e de máquinas e de dispositivos de segurança;
e) a exposição aos elementos;
f) a proteção proporcionada pelos equipamentos de proteção individual e a taxa de uso desses equipamentos;
g) atos inseguros (erros não intencionais ou violações intencionais de procedimentos) cometidos por pessoas.

Cada empresa deve estabelecer a melhor a estratégia de avaliação dos riscos de acordo com sua atividade, complexidade, recursos humanos e materiais disponíveis. O foco principal é que esta Matriz ou Fórmula permita classificar o risco em termos da sua importância para a prevenção.

Observação importante!

Os critérios e procedimentos de avaliação de riscos devem ser definidos previamente, observando-se o disposto nas Normas Regulamentadoras vigentes. Além, é claro, de levar em conta o cenário real existente ou futuro, assegurando saúde de forma proativa.

É fundamental que esta Matriz esteja incluída na documentação do GRO e dentro de um Sistema Informatizado de Gestão, que permita sua reavaliação constante e o gerenciamento dos Riscos.

Matriz de Avaliação de Risco no SOC

Atualmente, o SOC conta com a Matriz de Avaliação de Risco, que auxilia na análise do risco. O formato da matriz segue o padrão 4×4, conforme a sugestão de alguns clientes.

Segue modelo abaixo:

matriz de avaliação de risco no soc 4x4

Vale ressaltar que, futuramente, disponibilizaremos o modelo da Matriz de Avaliação de Risco no padrão 5×5. Porque, em nossas pesquisas realizadas com alguns clientes, identificamos esta necessidade.

Segue abaixo o modelo futuro:

matriz de avaliacao de risco no soc 5x5

Importante: É de total responsabilidade do Cliente SOC, parametrizar e embasar tecnicamente o preenchimento da matriz de risco utilizada, pois o SOC não fornecerá a descrição metodológica no PPRA, visto que cada cliente possui particularidades no ato de avaliar o nível de risco. Além disso, o entendimento de severidade e probabilidade citado no texto foi redigido com o apoio de nossa consultoria técnica em SST.

Confira mais notícias sobre o GRO em nosso blog:
» O que as empresas precisam saber sobre o Gerenciamento de Riscos Ocupacionais.
» 3 motivos para as empresas investirem em GRO.
» A importância do planejamento para a prevenção de riscos do trabalho.

Um Comentário
DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado. *Campos obrigatórios.