Indicadores de saúde: o que são e quais seus tipos?

Saúde Ocupacional - 19/06/2020

O que são, afinal, indicadores de saúde? Caso ainda compartilhe essa dúvida, saiba o essencial a respeito dos indicadores de saúde. Continue lendo.

É provável que já tenha lido por aí, em alguma reportagem ou artigo científico, ou até mesmo visto nos jornais televisivos o termo “indicadores de saúde” sendo frequentemente utilizado para explicar os avanços que tivemos nessa área ao longo do tempo.

Caso ainda compartilhe essa dúvida, acompanhe a leitura deste conteúdo e saiba o essencial a respeito dos indicadores de saúde.

O que são, afinal, indicadores de saúde?

De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), os indicadores de saúde são medidas ou sinalizadores que contêm informações relevantes sobre determinados atributos e dimensões do estado de saúde, bem como, de maneira geral, do desempenho do sistema de saúde.

A interpretação conjunta dos indicadores ajuda os especialistas a refletirem sobre a situação sanitária de uma população ou comunidade, e serve para subsidiar a criação de políticas públicas, de maneira a aperfeiçoar o sistema de saúde e garantir melhores condições e qualidade de vida à população, de um modo geral.

Na visão da OPAS, a construção de indicador de saúde é algo complexo, pois pode envolver desde a simples contagem direta de certos casos de doenças, até o cálculo, porções ou índices de situações relacionadas à expectativa de vida.

 

Desenvolvidos com objetivo de favorecer o cálculo e a avaliação de dados sobre quaisquer eventos relacionados à saúde, os indicadores evidenciam os pontos fortes e fragilidades do quadro sanitário, além de possibilitarem ações de vigilância contínua das condições de saúde.

São úteis para analisar as dimensões de acesso a serviços de saúde, qualidade da atenção, risco de adoecimento ou morte. As medidas podem se referir a grupos amplos, como os habitantes de um país, ou mais específicos, como os funcionários de uma determinada empresa.

Por meio dos indicadores, é possível, por exemplo, acompanhar o crescimento de uma doença como o sarampo entre crianças, saber se o tratamento adotado para diabetes tem obtido resultados positivos e analisar se uma política pública de alimentação é eficaz na adoção de dietas mais saudáveis.

 

Tipos de indicadores de saúde

Com o desenvolvimento da Ciência e o progresso da tecnologia, pode-se contar hoje com diversos tipos de indicadores de saúde. Os principais são:

    • Indicadores de morbidade: dizem respeito ao conjunto de indivíduos que adoeceram em um período e propiciam a descrição do estado de saúde da população. Também indicam quais são as enfermidades mais frequentes e que precisam de maior atenção de governantes, gestores e profissionais de saúde;
    • Incidência: indica o total de casos novos de uma doença e o risco de adoecer por conta dela. É uma medida que traduz a intensidade com que uma patologia ocorre em uma população;
    • Prevalência: remete ao número total de casos conhecidos de um problema de saúde, antigos e novos, revelando o seu comportamento. É uma forma de compreender a força com que certas questões persistem na população;
    • Indicadores de mortalidade: referem-se à ocorrência de mortes em um grupo ou população, expressando a probabilidade de óbito. Ajudam a identificar os segmentos mais atingidos por certos problemas, avaliar a eficácia de medicamentos e medir os impactos de programa para controle de doenças;
    • Mortalidade infantil: mede o risco de crianças morrerem em seu primeiro ano de vida. É um indicador muito utilizado para mensurar o nível de saúde de uma população e de desenvolvimento social de um local;
    • Mortalidade materna: engloba mortes de mulheres provocadas por problemas relacionados à gravidez, ao parto ou ocorridos até 42 dias após o nascimento do bebê. A taxa reflete o nível das condições de saúde da mulher e a qualidade na atenção à saúde;
    • Letalidade: medida que expressa a gravidade de uma doença. Ou seja, qual a probabilidade de uma pessoa morrer, caso contraia dada enfermidade;
    • Taxa de crescimento da população: é um indicador importante, pois permite o ajuste do sistema de saúde para que seja capaz de atender o crescimento da população;
    • Proporção de idosos na população: idosos fazem parte de um grupo que recebe atenção especial do Sistema Único de Saúde. Por isso, esse indicador se coloca como fundamental para o desenvolvimento e aperfeiçoamento do sistema de saúde.

 

Além destes, temos ainda:

  • Índice de envelhecimento;
  • Taxa de fecundidade;
  • Taxa de natalidade;
  • Mortalidade por idade;
  • Esperança de vida ao nascer;
  • Esperança de vida aos 60 anos de idade;
  • Mortalidade por infecção;
  • Mortalidade por causas desconhecidas;
  • Mortalidade por tipo de doença;
  • Mortalidade por doenças transmissíveis.

Como se vê, há, atualmente, um vasto conjunto de indicadores de saúdes que auxiliam, de maneira geral, os gestores, os profissionais da área de saúde e as autoridades públicas a formularem ações, projetos, programas e políticas, com o objetivo de não só aperfeiçoar o sistema de saúde, mas também de oferecer soluções eficientes para resolver os problemas de saúde pública.

 

Importância dos indicadores de saúde

Indicadores ajudam a conhecer o perfil de saúde da população, fornecem informações fundamentais para planejamento das políticas públicas e orientam o desenvolvimento de ações de prevenção de doenças e promoção da saúde.

Sem essas medidas, seria muito difícil estabelecer as prioridades nas ações de controle e tratamento das doenças, distinguir os segmentos e regiões com necessidades mais críticas e executar o trabalho de gestão e avaliação do sistema e serviços de saúde.

 

Os indicadores de saúde assumem, nesse contexto, um papel de grande importância, porque, como já sinalizado, servem de subsídios para a criação de políticas. Ou seja, funcionam como fundamento para se aprovar projetos e programas nas casas legislativas, de maneira assim, a beneficiar a população, sobretudo as classes mais carentes.

Além disso, são importantes porque acaloram o debate público, garantindo assim relevante espaço no cenário social e nas discussões políticas.

 

Os indicadores de saúde são matéria-prima indispensável para governantes e gestores, que precisam monitorar objetivos e metas, medir os impactos das ações e definir a alocação de recursos.

As informações que reunimos aqui foram úteis para você? Que tal ler outros textos em nosso blog? Esperamos sua visita!

Continue lendo:

Como fazer a gestão da saúde e segurança dos funcionários em home office

O software de saúde ocupacional como diferencial competitivo na sua empresa

> 4 cuidados com a saúde mental em meio a uma crise ou pandemia

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado. *Campos obrigatórios.