Riscos ergonômicos: confira os principais e como evitar no ambiente de trabalho

Saúde Ocupacional - 17/06/2020

A ergonomia no ambiente de trabalho é um fator importante a todo o momento, não importa se o profissional cumpre o expediente em um escritório ou dentro de casa. Cuidar da ergonomia é cuidar da saúde durante as extensas horas de trabalho. Por isso, é sempre interessante verificar se o local de trabalho é adequado e não possui riscos ergonômicos.

 

Riscos ergonômicos: confira os principais e como evitar no ambiente de trabalho

Os riscos ergonômicos ocorrem quando as condições do ambiente prejudicam o bem-estar do profissional e atrapalham o exercício da sua função. Caso os riscos persistam, é possível desenvolver doenças ocupacionais que causam desconforto e podem até afastá-lo do trabalho.

Por causa disso, se precaver e manter a ergonomia no ambiente de trabalho é fundamental para o bem-estar de qualquer profissional. Confira os riscos ergonômicos mais comuns e descubra como evitá-los no cotidiano.

Postura incorreta

Um ato aparentemente simples como sentar em uma posição inadequada representa um dos principais riscos ergonômicos. Problemas de postura podem aparentar inofensivos no começo, mas a longo prazo pode danificar os músculos que são forçados nessas ações.

A consequência é a sensação de cansaço, formigamento, dor e enfraquecimento muscular, podendo levar a uma lesão por esforço repetitivo (LER). Problemas de postura não afetam apenas quem trabalha sentado, como também quem passa o dia inteiro em pé ou precisa carregar objetos pesados.

Para evitar este problema, é preciso se policiar para manter a coluna sempre reta, sem se curvar. No caso de escritórios, a altura da mesa e da cadeira devem estar adaptadas ao indivíduo. As pernas devem se dobrar em um ângulo de 90º e os pés devem encostar no chão ou em um apoio próprio para tal.

O cotovelo também deve ficar dobrado a 90º e apoiado em cima da mesa. Já o monitor deve estar na altura certa para que a pessoa possa olhar a tela sem inclinar o pescoço. É difícil consertar maus hábitos de postura, mas é uma mudança fundamental para o conforto durante o trabalho.

Iluminação inadequada

Excesso de luz ou a falta dela em um ambiente de trabalho traz problemas ainda mais imperceptíveis. Quando a iluminação é fraca, é preciso forçar a visão para enxergar o seu arredor. Não só isso pode causar acidentes como o esforço extra provoca problemas de visão e dores de cabeça.

O mesmo vale para uma iluminação muito forte. O excesso de luz causa fadiga ocular, irritação e mais dor de cabeça. Por isso, o ideal é que a iluminação esteja presente, mas seja mais difusa, preferencialmente sem lâmpadas fluorescentes. Além disso, diminuir o brilho da tela e pintar paredes de cores mais escuras para não refletir a luz são boas práticas.

Alto fluxo de trabalho faz parte de riscos ergonômicos

A necessidade de alcançar metas constantemente leva a uma sobrecarga do profissional. Um ritmo muito acelerado de trabalho realizando sempre os mesmos movimentos e sem pausas pode ser muito prejudicial. Fisicamente, pode desenvolver uma LER. Psicologicamente, pode originar estresse e ansiedade.

Trabalhar muito nem sempre é um sinal de produtividade. Pelo contrário, é uma situação que desgasta o profissional e é prejudicial para a saúde. Reduzir a carga de trabalho é uma forma de manter a qualidade do trabalho ou bem-estar da equipe a todo o momento.

Gestão ocupacional é um tema sempre constante, mesmo com o trabalho remoto. Acesse nosso blog para conhecer mais sobre nossos serviços e saber como nós podemos te ajudar a ficar em dia com este assunto.

Continue lendo:

> A relação entre ergonomia e o trabalho home office

> Como um sistema de gestão ocupacional pode auxiliar seu negócio?

> Gestão ocupacional: conheça 5 formas de otimizar esse processo na sua empresa

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Seu e-mail não será publicado. *Campos obrigatórios.